A obesidade é uma doença crônica que afeta muitas pessoas em todo o mundo. No entanto, a escolha de hábitos alimentares saudáveis ​​e exercícios físicos pode ajudar a prevenir e tratar.

Mais da metade da população no Brasil  está acima do peso e 20% são consideradas obesas, segundo dados do Ministério da Saúde. Quer saber mais sobre? Continue lendo esse artigo.

O que é obesidade?

É o acúmulo de gordura corporal, quase sempre ocasionada pelo consumo excessivo de calorias na dieta, superior às calorias consumidas pelo organismo para manutenção e atividades diárias. Em outras palavras: a obesidade ocorre quando a ingestão de alimentos é maior que o gasto energético correspondente.

O excesso de gordura pode causar diabetes tipo 2, doenças cardíacas, hipertensão, artrite, apneia e até mesmo derrame. É difícil mudar hábitos alimentares e exercícios. Porém, se você planeja, pode fazê-lo.

Quando você consome mais calorias do que queima, seu peso aumenta. O que come e as atividades que faz a cada dia afetam isso. Se os membros da sua família são obesos, você também tem maior probabilidade de desenvolver a obesidade também. Além disso, a família também ajuda a desenvolver hábitos alimentares.

Um cotidiano frenético também torna mais difícil planejar uma dieta e comer alimentos saudáveis. 

Para muitas pessoas, é mais fácil comprar comida pronta e comer fora. Não há solução de curto prazo para a obesidade. O segredo para perder peso é comer bem e ingerir alimentos saudáveis, evitando uma dieta de alto índice glicêmico.

Tipos de Obesidade

  • Homogênea: a gordura é distribuída uniformemente nos membros superiores, inferiores e abdômen;
  • Andróide: é a obesidade em forma de maçã, que é mais característica em homens ou mulheres após a menopausa. Nesse caso, o acúmulo de gordura no abdômen e no peito aumenta o risco de doenças cardiovasculares;
  • Ginecóide: Obesidade em forma de pêra, mais feminina, há muito acúmulo de gordura na parte inferior do corpo, concentrada nas nádegas, nádegas e coxas. Está associada a uma maior incidência de artrite e veias varicosas.

Além disso, o distúrbio pode ser classificado de acordo com o grau de IMC.

Causas da doença

A obesidade às vezes pode ser atribuída a razões médicas, como síndrome de Prader-Willi, síndrome de Cushing e outras doenças. Entretanto, essas doenças são raras. 

Geralmente, as principais causas da obesidade são:

  • Não praticar exercícios: se você não for muito ativo, não queimará tantas calorias. Em comparação com atividades e exercícios diários normais, um estilo de vida sedentário pode facilmente consumir mais calorias todos os dias;
  • Dietas não saudáveis ​​e hábitos alimentares: se você comer mais calorias do que queimar, o ganho de peso será inevitável. E a maioria das dietas dos brasileiros é rica em calorias, e também há muitos fast foods e bebidas com alto teor calórico.

Os sintomas

A obesidade não tem sinais e sintomas, mas há manifestações causadas pela doenças, incluindo fadiga, movimentos limitados, sudorese excessiva e dores na coluna e nas pernas.

Diagnóstico

É feito por meio do cálculo do índice de massa corporal (IMC), que avalia a relação entre peso e altura. Quando o IMC é maior que 30, a pessoa é considerada obesa. 

Quanto maior a incidência, maior a probabilidade dos pacientes desenvolverem diabetes, doenças cardiovasculares e articulares, hipertensão e depressão, problemas diretamente relacionados ao declínio da qualidade de vida e redução da expectativa de vida.

  • ​​Abaixo do peso: IMC abaixo de 18,5
  • Peso normal: IMC entre 18,5 e 24,9
  • Sobrepeso: IMC entre 25 e 29,9
  • Obesidade Grau I: IMC entre 30 e 34,9
  • Obesidade Grau II: IMC entre 35 e 39,9
  • Obesidade Grau III: IMC acima de 40

O excesso de peso é causado pelo sobrepeso. Existem outros métodos para verificar o esse acúmulo e usá-los em conjunto com os cálculos do IMC. São eles: cálculo do percentual de gordura e medição da circunferência da cintura.

Exames para diagnosticar a doença

Os testes para diagnosticar a obesidade geralmente incluem:

  • Colesterol total e frações;
  • Glicemia de jejum;
  • Exames de sangue para verificar se desequilíbrios hormonais.

Tratamento de Obesidade

Como a obesidade é causada por mais ingestão de energia do que o consumo do corpo, o tratamento mais simples é adotar um estilo de vida mais saudável, reduzir a ingestão de calorias e aumentar a prática de exercícios físicos.

Essa mudança não só leva à perda de peso e reversão da doença, mas também ajuda a manter a saúde.

Procure ajuda médica

Se sentir algum sintoma, consulte o seu médico. O especialista será responsável por planejar a melhor forma de diagnóstico e tratamento. Ele também é quem deve analisar os resultados do teste.

Faça seus exames de colesterol rotineiros com o Laboratórios Unidos. Temos nove unidades, sempre perto de você.